viernes. 01.03.2024
Festa do Espumante de Melgaço

O pét-nat PET-ERNA e um bombom recheado com gelado aromatizado com o seu espumante de alvarinho e frutos vermelhos, as duas novidades

"Nesta edição queremos dar a conhecer o nosso mais recente produto o pét-nat Pet-erna. É ousado e saboroso. Um vinho para abrir novos horizontes"., garante o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso. Elaborado a partir de uvas 100% alvarinho e de forma ancestral, o Pet-erna já conquistou os amantes do vinho. Trata-se de um vinho espumante natural produzido pela Dona Paterna, na sub-região de Monção e Melgaço.  
Festa do Espumante en Melgaço.
Festa do Espumante en Melgaço.

A marca de vinhos DONA PATERNA volta a marcar presença na Festa do Espumante de Melgaço, evento que honra os espumantes da sub-região de Monção e Melgaço, presenteando os visitantes com duas novidades: o pét-nat PET-ERNA e um bombom recheado com gelado aromatizado com o seu espumante de alvarinho e frutos vermelhos. O certame arranca amanhã, 24 de novembro, e prolonga-se pelo fim de semana, no Largo do Mercado Municipal de Melgaço. 

«Nesta edição queremos dar a conhecer o nosso mais recente produto o pét-nat Pet-erna. É ousado e saboroso. Um vinho para abrir novos horizontes.», garante o produtor da Dona Paterna, Carlos Codesso. Elaborado a partir de uvas 100% alvarinho e de forma ancestral, o Pet-erna já conquistou os amantes do vinho. Trata-se de um vinho espumante natural produzido pela Dona Paterna, na sub-região de Monção e Melgaço.  

Designado como pét-nat (abreviatura de Péttilant Naturel), este néctar sofre a menor intervenção possível, sem qualquer tipo de adições, sendo o processo de fermentação conduzido de forma natural, como nos primórdios da criação do espumante.  

Ao contrário do espumante tradicional, o pét-nat não tem adição de sulfitos e de conservantes, assim como não passa pelo processo de filtragem, do dégorgement ou adição de açúcar. Termina a fermentação na garrafa, vedada com cápsula metálica, cujo método exige uma enorme precisão do produtor. «Temos de o engarrafar no momento certo, antes de todo o açúcar ser consumido. A fermentação é depois finalizada na garrafa, libertando o “gás” natural que lhe é tão particular.», diz Carlos Codesso. 

Com um teor alcoólico de 12%, o Pet-erna, pelo seu sedimento natural, apresenta-se mais turvo do que o espumante e com sabores mais complexos. Pode ser apreciado sozinho ou com assados e grelhados.

A marca melgacense volta, uma vez mais, a apostar numa iguaria gastronómica confecionada com um dos seus produtos, desta vez com o Espumante Bruto 100% Alvarinho. A gulodice surge de uma parceria com Elisangela Castro, do espaço gastronómico Sabor do Céu, que nos conta que «teremos um bombom de chocolate, recheado com um gelado cremoso, aromatizado com espumante de alvarinho Dona Paterna e frutos vermelhos.».

Confecionada de forma artesanal, a proposta gastronómica será apresentada na Festa do Espumante. Os curiosos poderão encontrar a iguaria no stand da produtora – Sabor do Céu, e no espaço físico sito na Rua velha nº135 – Melgaço (Tlm. 934352915). 

No stand DONA PATERNA, os visitantes poderão também apreciar esta iguaria e, ainda, provar os espumantes clássicos: o Bruto 100% Alvarinho e o Rosé. 

O evento vai, para além de diferentes produtores de espumante, reunir produtores de produtos locais e restaurantes e proporcionar sessões de showcooking e harmonizações, provas comentadas e animação musical.  

Dirigida ao público em geral, mas também aos profissionais ligados ao mundo dos vinhos, à hotelaria e restauração, a jornalistas e críticos, a Festa do Espumante de Melgaço, que vai na sua IX edição, assume-se como um momento de convívio entre os produtores e os apreciadores de espumante, mas, também, um evento promotor de negócios. 

O programa está disponível no site da autarquia de Melgaço, em www.cm-melgaco.pt.

FIQUE A SABER: DONA PATERNA ESPUMANTE BRUTO 100% ALVARINHO 2019 FOI GALARDOADO COM MEDALHA DE OURO 
O Dona Paterna 2019 Espumante Bruto 100% Alvarinho foi galardoado com medalha de ouro no 6º concurso internacional de espumantes Brut Experience, em julho passado. A competição contou com a participação de 100 espumantes produzidos na Alemanha, Espanha, França, Itália e Portugal, avaliados, em prova cega, por um júri composto por docentes universitários, jornalistas e críticos da especialidade, escanções, enólogos e proprietários de lojas de vinho.
Numa competição que segue os regulamentos internacionais do setor, pois são apenas atribuídas medalhas até 30% dos vinhos em competição, foram distinguidos 27 espumantes.

ESPUMANTE BRUTO 100% ALVARINHO DONA PATERNA 

Para a vinificação do Dona Paterna Espumante Bruto 100% Alvarinho as uvas utilizadas são criteriosamente selecionadas nas vinhas, com uma concentração em açúcar reduzida e de acidez fresca.
De cor amarelo citrino, bolha fina e persistente, o aroma mostra a fruta da casta Alvarinho com sabor persistente e complexo. Ideal como aperitivo, pelas suas características, serve para acompanhar uma grande diversidade de pratos. Deve ser bebido entre 6-8ºC.

EXPERIÊNCIAS IRRESISTÍVEIS COM VINHOS DE MELGAÇO

Recorde-se que das sinergias estabelecidas pela Dona Paterna surgiram já diferentes produtos: o ovo de chocolate com aguardente de alvarinho, os bombons com o Dona Paterna 100% alvarinho – de diferentes sabores, um gelado de aguardente vínica de Alvarinho (a Dona Paterna XO) criado pela gelataria portuense Neveiros, um sorvete de espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna, numa parceria com a gelataria artesanal DOPPO (Coimbra) e, ainda, um tatin de cebola roxa refrescado com o espumante bruto 100% alvarinho Dona Paterna, confecionado pela Chef Ana Luísa Eira Velha (Tasquinha da Portela) e que poderá ser apreciado no restaurante Tasquinha da Portela (Portela, Melgaço).

A PAIXÃO PELA VINHA LEVOU À CRIAÇÃO DA MARCA DONA PATERNA EM 1990

Localizada numa das mais importantes sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, a sub-região de Monção e Melgaço, a adega Dona Paterna situa-se, concretamente, no município mais a norte de Portugal, Melgaço, na Quinta da Carvalheira, no centro da freguesia de Paderne, uma região fortemente marcada pela cultura da vinha, nomeadamente da casta alvarinho, uma das castas brancas mais ilustres e considerada, por muitos, a melhor casta branca enxertada nas vinhas portuguesas.

O alvarinho Dona Paterna nasceu da paixão de Carlos Codesso que, inspirado pelo seu pai, Manuel Francisco Codesso, desde muito novo se interessou pela viticultura. Obstinado e incentivado pelo progenitor, em 1974, iniciou as primeiras plantações de alvarinho. O acumular de experiência, o contacto com a vinha, o cultivo de videiras, o explorar e conhecer o terroir e, por fim, a experiência na vinificação, foi a pedra-base para a criação, em 1990, da marca de vinho Dona Paterna. «Foram das primeiras vinhas contínuas de alvarinho em Melgaço. Comecei a produzir vinho, como lavrador, na altura nas designadas adegas de garagem, e a participar em concursos de vinho, recebendo algumas distinções. Em 1990 decidi criar a marca Dona Paterna.», conta Carlos Codesso.

Esta relação entre o vinho e o terroir onde se insere, a sub-região Monção e Melgaço, o respeito pelo meio ambiente, bem como a aposta na tecnologia, permite hoje apresentar diferentes perfis de alvarinho Dona Paterna de elevada qualidade, entre vinhos de outras castas, espumantes e aguardentes. 

O pét-nat PET-ERNA e um bombom recheado com gelado aromatizado com o seu espumante de...
Comentarios