domingo. 21.04.2024

Relatório de divulgação do beato Francisco Pacheco, de Ponte de Lima, comunicado a Roma

O trabalho para a canonização do Beato Francisco Pacheco de Ponte de Lima, esse missionário cuja actividade na Ásia lhe valeu a morte em 20 de Junho de 1626, juntamente com outros colegas, motivou mais uma deslocação de elementos do grupo promotor dessa missão a Roma.
A comitiva encontrou-se com Mons. António Saldanha, um adido no Vaticano, oficial na Congregação da Causa dos Santos.
A comitiva encontrou-se com Mons. António Saldanha, um adido no Vaticano, oficial na Congregação da Causa dos Santos.

O trabalho para a canonização do Beato Francisco Pacheco de Ponte de Lima, esse missionário cuja actividade na Ásia lhe valeu a morte em 20 de Junho de 1626, juntamente com outros colegas, motivou mais uma deslocação de elementos do grupo promotor dessa missão a Roma.

A comitiva encontrou-se com Mons. António Saldanha, um adido no Vaticano, oficial na Congregação da Causa dos Santos, o qual elogiou a actividade realizada nos últimos oito meses na divulgação do Beato Francisco Pacheco (1565? -1626); o ilustre membro da Cúria Romana, é um dos elementos portugueses de referência nos corredores do Vaticano, pois com funções profissionais no Palácio Apostólico, onde diariamente se desloca o Papa Francisco, integra esse restrito grupo de relação com o Chefe da Igreja Católica.

A reunião com o responsável da elaboração dos processos de santidade, juntou também duas outras personalidades eclesiais em Roma: Mons. Agostinho Borges, Reitor do Instituto Português de Santo António, adido cultural da embaixada de Portugal junto da Santa Sé e nomeado pelo Papa João Paulo II seu Prelado de Honra e, Mons. Sebastião Matos, conselheiro eclesiástico também da nossa representação diplomática no Vaticano.

Quanto ao relatório por nós comunicado como porta voz da equipa promotora da canonização do Beato Francisco Pacheco - o Clube de Gastronomia de Ponte de Lima - evidenciamos acções de intensificação do culto em Portugal e estrangeiro, com saliência nas entregas de imagens do mártir do Japão em instituições de comunidades portuguesas na Bélgica, Itália, Canadá e Suécia. Outras actividades estão a ser preparadas com o Postulador da Causa, o Padre João Caniço, recentemente renunciado  da paróquia do Lumiar, Lisboa.

Entretanto, a encerrar a reunião em Roma, surgiu uma hipótese da próxima reunião decorrer em Ponte de Lima. O programa incluirá recepção municipal, visita  ao local de nascimento do Beato Pacheco e capela que lhe foi dedicada em 1965 na Igreja  Matriz da sede do concelho.

Relatório de divulgação do beato Francisco Pacheco, de Ponte de Lima, comunicado a Roma
Comentarios