martes. 27.09.2022

Feira da Maçã, do vinho e do azeite, de Carrazeda de Ansiães, celebra 25 anos

A Feira, que decorre nos dias 26, 27 e 28 de agosto, é inspirada nas três atividades mais representativas do concelho, a maçã, o vinho e o azeite, que juntas, num ano normal, geram uma receita de 23 milhões de euros.

Dos 6.916 hectares de área agrícola existentes no concelho de Carrazeda de Ansiães, 800 hectares estão a produzir maçã, 2800 hectares produzem vinho e 1920 hectares azeite, atividades que, em conjunto, geram um volume de negócio médio na ordem dos 23 milhões de euros. Uma receita extremamente importante para o concelho, que ajuda a dinamizar e a promover a qualidade destes produtos através da Feira da Maçã, do Vinho e do Azeite. O certame vai já na 25ª edição (depois de dois anos de interregno devido à pandemia) e acontece nos dias 26, 27 e 28 de agosto.

Carrazeda de Ansiães produz entre 28 a 30 mil toneladas de maçã por ano, o que o torna no maior produtor de maçã da região de Trás-os-Montes. Mas não é a quantidade que distingue este concelho, mas sim a qualidade e as características específicas, que resultam da própria área de produção, o Planalto de Ansiães, situado a 800 metros de altitude. O frio do Inverno e o calor que se sente no Verão são ideais para que esta cultura seja um sucesso, resultando em maçãs crocantes, duras, perfumadas, com bastante açúcar e extremamente saborosas.

DCIM\100MEDIA\DJI_0014.JPG

Há em Carrazeda de Ansiães 1200 viticultores. O vinho de Carrazeda de Ansiães, cultivado nas encostas do Douro e do Tua, produz vinho do Porto, mas também vinhos DOC com a qualidade reconhecida à Região Demarcada do Douro.

Os olivais plantados nos vales e encostas dos rios Douro e Tua, garantem azeites com um carácter único e distinto, obtido a partir das variedades típicas de Trás-os-Montes, como a Cobrançosa, a Verdeal e a Madural. Boa parte do trabalho de produção é feito à mão, porque o declive do terreno não permite a mecanização, nomeadamente na apanha, e talvez por essa razão, cada pingo deste ouro líquido, carrega a identidade desta terra.

E são estes os argumentos que fazem da Feira da maçã, do vinho e do azeite uma grande festa, sem dúvida a mais representativa do concelho de Carrazeda de Ansiães.

Uma Feira que é uma grande Festa

Área de exposição conta com cerca de 100 participantes.

Na tenda principal, com mais de 1100 metros quadrados de área de exposição, onde estará à venda a maçã, o vinho e o azeite, é complementada com um espaço dedicado à venda de outros produtos locais, nomeadamente, frutos secos, mel, doces regionais, folares, bolas de carne, queijos, fumeiro e enchidos e ainda artesanato.

São os produtos da terra, aqueles que sustentam a ruralidade e que garantem a autenticidade e diferenciação do concelho.

Este ano, para além de comprar, os visitantes podem ainda degustar. Alias, é uma das novidades do certame, a introdução de uma zona coberta de tasquinhas, onde é possível comer e beber, com a particularidade de possuírem uma esplanada de apoio com vista privilegiada sobre o palco principal.

Os espetáculos musicais são sempre um ponto alto para a comunidade local e uma razão para ficar, para os visitantes. Este ano Tony Carreira é cabeça de cartaz, com atuação marcada para o dia principal, dia 27 de agosto, sábado, dia em ocorre também um magnifico espetáculo de fogo de artificio e em que a festa se prolonga pela madrugada dentro.

A Feira abre no dia 26, às 18h00 e nessa primeira noite o grupo em destaque são o Expensive Soul, continuando pela noite dentro o trio de Dj’s The Fucking Bastards.

No dia 28 sobem ao placo os Quatro e Meia.

Como de costume a Feira conta com um espaço dedicado às crianças, com workshops diversos, garantindo animação, diversão e aprendizagem.

O frio do Inverno e o calor que se sente no Verão são ideais para que esta cultura seja um sucesso, resultando em maçãs crocantes, duras, perfumadas, com bastante açúcar e extremamente saborosas.

Há também espaço para exposição de maquinaria agrícola e até uma prova de perícia de tratores.

Ao longo dos três dias de festa a autarquia tem a preocupação de promover a cultura local, através da realização do cortejo etnográfico, mas também da atuação de grupos locais, quer em palco, quer na realização de arruadas que espalham a musica pelas principais ruas da vila.

No domingo destaca-se ainda a procissão dos oragos concelhios que percorre as principais artérias da vila a partir da 18h00.

Feira da Maçã, do vinho e do azeite, de Carrazeda de Ansiães, celebra 25 anos
Comentarios