lunes. 15.07.2024

A abertura das Feiras Novas, essas tradicionais, castiças festas do concelho de Ponte de Lima arrancam esta quarta-feira pelas 21,00 h com meio milhar de concertinas pelas ruas do centro histórico.

A concentração dos tocadores do conhecido instrumento de música popular muito utilizado no folclore minhoto, terá lugar na EXPOLIMA (Parque de Exposições de Ponte de Lima), junto da capela de S. João.

De acordo com fonte da organização do evento, os intérpretes das modinhas para animar o arranque das festividades em honra de Nossa Senhora das Dores, são maioritariamente provenientes do concelho Limiano, mas outros vêm de longe: do restante Minho ao Douro, das Beiras e mais além!

Após o desfile em arruada, as rusgas dispersam-se por espaços públicos da vila, para interpretação de repertório tradicional: viras, chulas, gotas e picadinhos…

Vilarinho na Casa da Aurora.
Vilarinho na Casa da Aurora.

Em tempo de Feiras Novas e de música popular, é dever lembrar alguns daqueles que foram exímios na arte da concertina. Para além dos conterrâneos, esses saudosos Cachadinha, da freguesia do Bárrio, e Félix, de S. Martinho da Gândara, um outro nome, evocamos, cimeiro na arte do dedilhar o instrumento e cantar ao desafio, em tocata ou isolado. Referimo-nos a Nelson Pereira, o Vilarinho, de Covas, Vila Nova de Cerveira. Natural de S. Paulo, Brasil, falecido há dez anos, acompanhou vários grupos folclóricos da região, como o de Santa Marta de Portuzelo (Viana do Castelo), o de Dem (Caminha), o do Cerdal (Valença), o de S. Martinho da Gândara (Ponte de Lima), entre outros.

Mas, o sempre renomado- Nelson Vilarinho – tinha uma afeição pelas Feiras Novas, nas quais participava desde petiz, recordava-nos há um quarteirão de anos. Tudo começara cerca de 1951 após comprar a sua primeira concertina por 170 escudos (0,85 cêntimos moeda de hoje), essa sua companhia para tantos arraiais, festejos ou romarias, públicas ou particulares onde a sua presença era muito estimada (além de Ponte de Lima, recordemos a Peneda ou o S. João de Arga), ou as solarengas residências de Lanheses, Bertiandos, Calheiros, Aurora. Aqui, em Abril de 1952, a convite do Conde de Aurora, Vilarinho interpretou um Vira, para a inglesa Margot Fonteyn (1919 – 1991), regressada de digressão por Nova Iorque, considerada “uma das melhores bailarinas de todos os tempos”, no terraço circundante á sala de jantar, como a foto documenta.

Abertura das Feiras Novas com 500 concertinas
Comentarios