sábado. 20.07.2024

São sete mil milhões de euros a investir até ao final de 2026, prevendo a criação de mais de 18 mil postos de trabalho, na esmagadora maioria altamente qualificados. O programa Agendas Mobilizadoras, que envolve já mais de mil entidades, está esta quarta-feira em destaque em Leiria, num primeiro encontro anual para fazer o ponto da situação daquele que António Costa aponta como o programa "mais transformador" do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Um debate que marca o primeiro dia da iniciativa Governo Mais Próximo, que decorre até amanhã. 

À chegada ao teatro José Lúcio da Silva, onde acompanhará ao longo do dia o encontro das Agendas Mobilizadoras, o primeiro-ministro sublinhou que Leiria é "um dos distritos com maior participação" neste programa, "quer pela excelência do seu tecido empresarial, quer pela excelência do seu politécnico".

Um distrito que é "um dos maiores motores da economia portuguesa" e um dos que "mais tem contribuído" para o aumento de exportações e criação de emprego, afirmou o líder do Executivo, sublinhando que, "só nos últimos oito anos", Leiria criou 43 mil novos postos de trabalho e o volume de negócios das empresas aumentou quase 44 mil milhões de euros. 

"Foi por isso que também escolhemos o distrito de Leiria para fazer o balanço e ponto de situação do programa mais transformador que temos no Plano de Recuperação e Resiliência, que é o programa das Agendas Mobilizadoras, que junta empresas e entidades do sistema científico e tecnológico", referiu António Costa. 

Além do primeiro encontro anual das Agendas Mobilizadoras - iniciativa que será encerrada pelas 16h30 pelo primeiro-ministro -, ao longo destes dois dias os membros do Governo farão mais de 50 visitas, em todos os 16 concelhos do distrito de Leiria. Amanhã terá lugar um Conselho de Ministros descentralizado. 

O programa Agendas Mobilizadoras, 7 mil milhões em projetos para transformar o país
Comentarios