martes. 07.02.2023

Portugal e Espanha apresentam estratégia turística para as zonas raianas

O Ministro da Economia e do Mar de Portugal disse esperar que a estratégia crie produtos que atraiam um novo perfil de turista e que, simultaneamente, levem à fixação de pessoas nos 144 000 quilómetros quadrados de territórios em torno da fronteira de 1234 quilómetros partilhada entre Portugal e Espanha, marcada nos dois lados pelo despovoamento e contínua perda da população.
Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva.
Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva.

Os Ministros responsáveis pelo turismo de Portugal e de Espanha, António Costa Silva e Reyes Maroto Illera, apresentaram Estratégia conjunta para a Sustentabilidade do Turismo Transfronteiriço 2022-2024, na Feira Internacional de Turismo de Madrid, uma das maiores do mundo.

O Ministro da Economia e do Mar de Portugal disse esperar que a estratégia crie produtos que atraiam um novo perfil de turista e que, simultaneamente, levem à fixação de pessoas nos 144 000 quilómetros quadrados de territórios em torno da fronteira de 1234 quilómetros partilhada entre Portugal e Espanha, marcada nos dois lados pelo despovoamento e contínua perda da população.

A Estratégia foi traçada atendendo a que «há uma mudança no perfil do turismo mundial», que se acentuou depois da pandemia, com «turistas mais exigentes», que querem novos produtos e «estão muito preocupadas com a sustentabilidade e com a situação do planeta», disse António Costa Silva.

«O turismo pode impulsionar esse desenvolvimento local, quer de um lado quer do outro da raia», disse o Ministro, acrescentando que «se formos capazes de criar riqueza, isso vai traduzir-se sempre em tudo aquilo que queremos, mais escolas, mais serviços públicos, mais respostas às pessoas».

Os territórios abrangidos têm «um conjunto de ativos» histórico, cultural, arquitetónico e ambiental, «com áreas que são autênticos paraísos da biodiversidade», que podem ser potenciados turisticamente, sublinhou Costa Silva, acrescentando que «temos de olhar para os ativos que o interior tem, desenhar esses produtos, qualificar a oferta, fazer a promoção externa e atrair as pessoas».

Como exemplos, o Ministro referiu os mais de 60 castelos e fortalezas, a arte rupestre, os parques naturais e as rotas históricas do contrabando, entre outros, que permitem «reinventar destinos e tentar desenvolver as comunidades» do interior.

Costa Silva referiu que as equipas dos dois países estão agora a trabalhar na concretização da estratégia e nos modelos de financiamento, através de fundos europeus.

A estratégia turística insere-se na Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço de Portugal e Espanha, anunciada na cimeira luso-espanhola de outubro e 2020, que abrange 1551 freguesias portuguesas e 1231 municípios espanhóis.

Na feira do turismo de Madrid estão presentes cerca de 8500 empresas de 131 países. A representação portuguesa conta ainda com as sete regiões turísticas (Porto e Norte, Centro, Alentejo, Algarve, Madeira e Açores), instaladas, com as 92 empresas representadas, num expositor de 900 metros quadrados do Turismo de Portugal. Diversos municípios e entidades intermunicipais estão também representados em stands próprios.

Portugal e Espanha apresentam estratégia turística para as zonas raianas
Comentarios