jueves. 18.07.2024
Workshop River2Ocean conta com responsáveis da Agência Portuguesa do Ambiente, ICNF e CCDR-N, entre outros

UMinho revela as mudanças na biodiversidade aquática da região

O que mudou na biodiversidade aquática do Minho em vinte anos e quais são as suas espécies, comunidades e habitats em maior risco? As respostas vão ser conhecidas esta sexta-feira na Universidade do Minho, no workshop final do projeto científico River2Ocean. O evento está agendado para as 14h30, no auditório do Instituto para a Ciência e Inovação (IB-S), no campus de Gualtar, em Braga.

O que mudou na biodiversidade aquática do Minho em vinte anos e quais são as suas espécies, comunidades e habitats em maior risco? As respostas vão ser conhecidas esta sexta-feira na Universidade do Minho, no workshop final do projeto científico River2Ocean. O evento está agendado para as 14h30, no auditório do Instituto para a Ciência e Inovação (IB-S), no campus de Gualtar, em Braga.

“Os resultados do estudo demonstram a urgência de adotar práticas de gestão de território mais sustentáveis, para mitigar por exemplo os impactos das alterações climáticas na quantidade e qualidade de água disponível para atividades humanas”, explica a investigadora coordenadora do trabalho, Fernanda Cássio, do Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) da Escola de Ciências da UMinho.

O workshop, intitulado "Do Rio ao Oceano: Biodiversidade, Bioeconomia e Sustentabilidade", conta na abertura com o vice-reitor da UMinho para a Investigação e Inovação, Eugénio Campos Ferreira. De seguida, Fernanda Cássio vai detalhar o River2Ocean e a importância das soluções socio-ecológicas e biotecnológicas nesta área. Prevê-se ainda intervenções dos cientistas Filipe Costa, Raul Machado e Cláudia Pascoal, do CBMA, a avaliarem as pressões humanas no Minho, a promoção da bioeconomia, bem como a gestão e a conservação da biodiversidade aquática.

O programa inclui às 15h50 a mesa redonda “Estratégias de valorização da biodiversidade no Minho”. Os convidados são o vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, José Pimenta Machado; o presidente da Sociedade Portuguesa de Oceanografia e investigador do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Miguel Piecho-Santos; o diretor do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-ARNET) e professor da Universidade de Évora, Pedro R. Almeida; a diretora dos Serviços de Ordenamento do Território da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Alexandra Cabral; e a diretora regional do Norte do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, Sandra Sarmento.

O projeto River2Ocean é liderado pelo CBMA e tem financiamento da CCDR-N, dos programas Norte2020 e Portugal2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Tem como objetivo criar “uma base de dados da biodiversidade aquática, de habitats e de pressões na região do Minho”, para melhor gerir estes ecossistemas. Estão também a ser desenvolvidos um biobanco de microrganismos marinhos e métodos de DNA ambiental para a deteção e gestão sustentável de peixes com importância comercial nesta região.

Para participar no encontro, as inscrições podem ser feitas gratuitamente em http://bit.ly/3NJuo0B.

UMinho revela as mudanças na biodiversidade aquática da região
Comentarios