domingo. 26.05.2024

Portugal e Alemanha destacam ampla convergência nas questões europeias e mundiais

O Primeiro-Ministro António Costa recebeu o Chanceler federal da Alemanha, Olaf Scholz, numa reunião em que discutiram assuntos bilaterais, a União Europeia e a situação internacional, tando ambos destacado os numerosos pontos de acordo e cooperação.
Primeiro-Ministro António Costal e Chanceler federal da Alemanha Olaf Sholz fazem declaração pública, Lisboa.
Primeiro-Ministro António Costal e Chanceler federal da Alemanha Olaf Sholz fazem declaração pública, Lisboa.

O Primeiro-Ministro António Costa recebeu o Chanceler federal da Alemanha, Olaf Scholz, numa reunião em que discutiram assuntos bilaterais, a União Europeia e a situação internacional, tando ambos destacado os numerosos pontos de acordo e cooperação.

António Costa destacou que «nos últimos anos, Portugal e Alemanha têm tido uma convergência crescente relativa às questões em debate na União Europeia e partilham a necessidade de aprofundar a reflexão sobre o futuro da Europa, quando está em cima da mesa a discussão sobre um novo processo de alargamento e é claro que, para que seja bem-sucedido, as instituições europeias devem preparar-se adequadamente».

O Primeiro-Ministro lembrou que os dois países (e os dois atuais Chefes de Governo) têm «trabalhado em conjunto, em momentos bastante difíceis, como quando o Chanceler Scholz esteve aqui, então Vice-Chanceler e Ministro das Finanças, para prepararmos uma coisa que então se considerava impossível de obter, o lançamento do programa NextGenerationEU para responder à difícil situação económica e social que resultava da pandemia».

«As decisões tomadas nessa altura mostraram-se acertadas para salvar milhões de empregos e de empresas e para que a economia europeia saísse da pandemia melhor do que se previa», disse. 

Portugal e Alemanha têm ainda «trabalhado para responder aos desafios que agressão da Rússia à Ucrânia coloca às nossas sociedades, designadamente na energia. Felicito publicamente o Chanceler pelo trabalho que a Alemanha fez num período tão curto para recuperar a sua autonomia energética e substituir o gás russo».

António Costa agradeceu a Olaf Scholz «o seu empenho para desbloquear o impasse que durante anos bloqueou as negociações entre Portugal, Espanha e França para a construção de uma nova interligação elétrica e de gás para o centro da Europa», acrescentando que «a Alemanha é uma importante aliada nesta estratégia de criação de um corredor de hidrogénio verde e de outros gases renováveis para reforçar a autonomia energética europeia».

«Do ponto de vista bilateral, as empresas alemãs são muito importantes na nossa estrutura económica e na nossa base industrial. Num momento em que as cadeias de valor se reorganizam à escala global para que possam ser mais resilientes, quero expressar mais uma vez o apreço pela forma como as empresas alemãs trabalham em Portugal e o interesse que temos em continuar a trabalhar com o Governo e as empresas da Alemanha para reforçar a solidez, autonomia e resiliência da nossa estrutura industrial, numa Europa aberta», disse.

OS MESMOS VALORES

O Chanceler Scholz lembrou o importante contributo dos dois países e Chefes de Governo para que a Europa superasse a crise do Covid-19, estabilizasse a situação e retomasse o crescimento. 

Referindo que a Alemanha e Portugal partilham os mesmos valores e têm ideias muito parecidas em muitas questões e por isso cooperam muito bem nas relações internacionais e também entre si, acrescentou que os dois países querem aprofundar esta relação e contribuir para uma Europa que esteja à altura da sua posição no mundo e para que haja boa cooperação na Aliança Atlântica. 

Afirmando que a guerra da Rússia contra a Ucrânia constitui uma ameaça para a segurança europeia, pois tende a substituir a ordem internacional baseada em regras pelo direito do mais forte, o que não podemos permitir, sublinhou que A União Europeia vai continuar a apoiar a Ucrânia dos pontos de vista político, financeiro, humanitário e com armamento e fá-lo-á enquanto for necessário.

Olaf Scholz expressou o seu agradecimento pelo contributo português na ajuda à Ucrânia, destacando a que disponibilização de carros de combate foi um sinal muito claro da posição de Portugal.

O Chanceler alemão disse também que, o alargamento aos Balcãs Ocidentais e à Ucrânia e Geórgia, são processos que têm de ser abordados agora para que para que se construa uma boa base para o futuro europeu.

A Europa tem de diversificar as relações comerciais para que as cadeias de fornecimento sejam mais abrangentes e tem de fazer mais investimentos para não depender apenas de um país ou de uma região. Isto leva vários anos, mas é por isto que os Governos alemão e português estão empenhados em que haja acordos comerciais com muitas regiões do mundo, destacando com o Mercosul. 

Portugal é um bom parceiro no combate às alterações climáticas, está a avançar a passo muito rápido na produção de energias renováveis. Na produção de hidrogénio verde Portugal é um pioneiro e aí temos uma boa cooperação como quanto ao gasoduto projeto para o hidrogénio verde, disse ainda.

Portugal e Alemanha destacam ampla convergência nas questões europeias e mundiais
Comentarios