domingo. 26.05.2024

Exposição 'Non finito' inaugura em Castelo Branco

O Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, inaugura na próxima sexta-feira, 16 de junho, às 18h30, a exposição «Non finito» – Obras da Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE) no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB). Com curadoria de Fernando J. Ribeiro, Pedro Portugal e Beatriz Hilário, a mostra integra 52 obras de 48 autores nacionais e internacionais e fica patente de 17 de junho a 3 de setembro de 2023.
O Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, inaugura na próxima sexta-feira, 16 de junho, às 18h30, a exposição «Non finito» – Obras da Coleção de Arte Contemporânea do Estado (CACE) no Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco (CCCCB). Com curadoria de Fernando J. Ribeiro, Pedro Portugal e Beatriz Hilário, a mostra integra 52 obras de 48 autores nacionais e internacionais e fica patente de 17 de junho a 3 de setembro de 2023.
 
Resultante de uma parceria entre a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e o Município de Castelo Branco, a mostra conta com a organização conjunta do CCCCB e da CACE. «Nono finito» é a segunda exposição integrada no programa de circulação da CACE pelo território nacional, no quadro de uma estratégia de descentralização da arte contemporânea que envolve instituições públicas e privadas. 
 
Depois do sucesso comprovado de «Dark Safari», a primeira exposição do programa de circulação, que está patente no Museu do Côa e no Centro Cultural de Vila Nova de Foz Côa e já contou com mais de 23 mil visitantes, «Nono finito» propõe determinadas «relações conceptuais e espaciais» entre as suas obras, explorando ideias como a «evasão» e a «teatralidade», que podem manifestar-se de diferentes formas no trabalho das novas gerações de artistas. 
 
Entre 2019 e 2022, o investimento no reforço da Coleção de Arte Contemporânea do Estado já se traduziu na integração de 239 obras de 209 artistas, num investimento global de 2 milhões e 250 mil euros, através do programa anual de aquisição de arte contemporânea, bem como das aquisições, em 2023, das obras «O Impostor», de Paula Rego (400 mil euros), e «O Bordel», de Graça Morais (60 mil euros). 
 
A este propósito, importa ainda realçar a incorporação na CACE de coleções de grande valor patrimonial, como a Coleção Miró ou a Coleção BPN e, mais recentemente, a já anunciada incorporação da Coleção Ellipse e da Coleção BPP. Em 2023, a CACE foi reforçada face a 2022, ficando com 1M€ disponível para aquisições e circulação.
 
'NON FINITO'
 
17 junho a 3 de setembro de 2023
 
Curadoria: Fernando J. Ribeiro, Pedro Portugal e Beatriz Hilário
Com obras de Adriana Proganó, Alice dos Reis, Allan Sekula, Ana Jotta, Ana Santos, André Príncipe, André Romão, André Sousa, António Poppe, Antóni Tapiés, Arlindo Silva, Bárbara Bulhão, Bruno Zhu, Carlos Noronha Feio, Cindy Sherman, Daniela Krtsch, Didier Fiuza Faustino, Diogo Evangelista, Eugénia Mussa, Fábio Colaço, Helena Almeida, Isabel Simões, Jimmie Durham, Joana Escoval, José Pedro Croft, João Tabarra, Jorge Molder, Lea Managil, Luís Paulo Costa, Mané Pacheco, Michael Biberstein, Miguel Ângelo Rocha, Musa paradisiaca, Nikolai Nekh, Paula Rego, Pedro Henriques, Pedro Vaz, Priscila Fernandes, Rita Sobral Campos, Robert Mapplethorpe, Rosa Carvalho, Ruy Leitão, Salette Tavares, Susanne S. D. Themlitz, Teresa Dias Coelho, Tito Mouraz, Valter Vinagre, Yonamine 
 

Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco

 

Campo Mártires da Pátria, S/N (Devesa)
6000-097 Castelo Branco
T. +351 272 348 170 
 
CACE
www.colecaodoestado.pt
Instagram: cace_pt

Exposição 'Non finito' inaugura em Castelo Branco
Comentarios